Os melhores jogos brasileiros da Global Game Jam 2013 para você jogar

Por Henrique Sampaio | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Selecionamos alguns dos jogos mais criativos, divertidos e interessantes dos mais de 200 criados por centenas de brasileiros em apenas 48 horas

Bruno Campagnolo de Paula
Participantes da Global Game Jam (e uma pilha de pizzas) na PUCPR

No último final de semana, mais de 10 mil pessoas ao redor do mundo se reuniram com um único propósito: criar jogos experimentais em 48 horas. Essa é a Global Game Jam, a maior maratona de desenvolvimento de jogos do mundo. Como já está virando tradição, o Brasil, novamente, foi um dos países que mais produziu jogos: aproximadamente 200 (no ano passado, foram entre 120 e 150). De acordo com os dados da própria GGJ e com o organizador e pesquisador Bruno Campagnolo, a sede de Curitiba, a PUCPR, se manteve como a segunda maior do mundo, com 250 participantes presentes, dos 318 inscritos.

Seguindo as regras do evento, todos os jogos foram desenvolvidos a partir de um tema, e o deste ano foi “o som do coração”. Deste simples conceito, surgiu uma miríade de jogos, dos mais diversos gêneros. É curioso perceber como boa parte dos participantes (se não a maioria) associou o tema com amor, relacionamentos e, consequentemente, jogos cooperativos. Portanto, recomendamos que você chame o namorado ou a namorada antes de começar.

Jogamos algumas dezenas deles, passando pelos principais e outros mais obscuros, e selecionamos nossos dez favoritos. Vale lembrar que todos os jogos abaixo foram criados em apenas dois dias de trabalho intenso de cada uma das equipes. Portanto, não espere a qualidade de grandes produções, mas sim, pequenos jogos criados com esmero a partir da criatividade e cooperação de jovens desenvolvedores - que podem muito bem ser os grandes game designers brasileiros de amanhã.

Clique no título do jogo e divirta-se!

Reprodução
Tied

Tied

Dos curitibanos da Monster Juice, Tied é um jogo cooperativo no qual dois jogadores precisam superar obstáculos sem que o laço que os une se rompa. A ideia é que eles naveguem juntos pelo labirinto, sempre mantendo-se próximos um do outro, ouvindo as batidas de um coração que aceleram conforme eles se afastam. Com um visual e trilha sonora delicada, Tied é um dos jogos brasileiros mais fofos da GGJ.




Reprodução
Stoneheart: The Beauty in the Beast

Stoneheart: The Beauty in the Beast

A trupe do Miniboss, liderada pelo casal campinense Amora e Santo, devotos de longa data das maratonas de desenvolvimento de games, também fez um jogo sobre cooperação. Até três jogadores devem trabalhar em conjunto, no melhor estilo Goof Troop, para curar um coração, enquanto enfrentam as diferentes salas de um labirinto imprevisível, que se transforma de acordo com as atitudes dos jogadores.



BitBit Machine

O jogo da Behold Studios, de Brasilia, é sobre manter vivo um coração mecânico, no controle de um pequeno bonequinho responsável por sua manutenção. Ao som de uma cacofonia 8-bit, você deve ser rápido para manter as batidas do coração, controlando suas válvulas, alinhando canos, esvaziando recipientes, liberando vapor e mantendo as coisas em ordem. O jogo não está disponível para download, mas você pode assistir a uma partida completa aqui:


Reprodução
Like a Boss

Like a Boss

O jogo da Fire Horse, de São Paulo, tem bons motivos para ser um dos nossos favoritos: em Like a Boss, você controla o chefão de um MMO e enfrenta uma equipe de dezenas de jogadores (que aqui são, obviamente, controlados pela inteligência artificial), enquanto eles tentam se organizar para derrotá-lo. Além da variedade de comportamento dos inimigos, que simulam os diferentes tipos de classes e jogadores, Like a Boss é recheado de frases típicas de jogadores de MMO, o que dá um tom leve e bem humorado à experiência.

 

Reprodução
So Far So Close

So Far So Close

Embora o jogo da Swordtales (de Toren) também aborde relacionamentos, ele é uma bela metáfora para os relacionamentos à distância. Dois personagens, cada qual em uma parte da tela, precisam navegar por um labirinto escuro, ajudando-se mutuamente. Quanto mais próximos um do outro, maiores são seus campos de visão, e mais forte batem seus corações. Quando se afastam por muito tempo, resolvendo os problemas do labirinto (ou tocando suas vidas, como podemos interpretar), as batidas diminuem e a escuridão começa a dificultar a navegação. Cartinhas de amor e ligações podem prolongar a relação, mas nada como um momento de proximidade, quando o coração bate mais forte - algo que nem sempre é possível.


Reprodução
Moustaccio & Billy Robot

Moustaccio & Billy Robot

Produzido na Unicamp, em Campinas, o joguinho traz dois personagens que precisam trabalhar cooperativamente, cada um com sua própria tela de jogo, controles e mecânicas. Billy Robot, a parte shooter do jogo, que precisa derrotar inimigos e coletar itens, e Moustaccio, um homenzinho no coração do robô que precisa levar os itens coletados por Billy nos lugares certos para melhorar seus poderes e reparar os danos, enquanto elimina invasores.



Reprodução
Sigurdr's Havoc

Sigurdr's Havoc

Apesar do nome quase impronunciável, o jogo da JoyMasher (de Oniken) é uma homenagem às “fases intestinais” dos jogos antigos, com uma certa inspiração na clássica fase do poço de Battletoads. No controle de um guerreiro nórdico, você deve fazer uma viagem até o coração de uma cobra gigante, desviando dos obstáculos no meio do caminho e coletando power ups. A grande sacada está nas mudanças de perspectiva e gravidade dos cenários, que mudam de acordo com os movimentos da cobra.



Surgeon Simulator

O jogo da Bossa Studio não é brasileiro, mas levando em consideração que seus fundadores são, decidimos colocá-lo aqui. Ah, e claro, o fato de que se trata de um hilário e insano simulador de cirurgia, cujo título é uma referência direta ao nosso jogo favorito Farming Simulator 2013, também pesou para a escolha. Basicamente, é como se o o atleta de QWOP (ou o Octodad) decidisse virar cirurgião: a complexidade e imprecisão dos controles torna Surgeon Simulator um jogo hilário de malabarismo, no qual a vida do paciente acaba se tornando sua última preocupação.


Reprodução
Too Much Love Will Kill You (just as sure as none at all)

Too Much Love Will Kill You (just as sure as none at all)

Da Fatec de São Caetano do Sul, vem um jogo sobre equilíbrio, com um conceito levemente semelhante ao de So Far So Close. Dois jogadores precisam manter uma distância ideal para eliminarem os oponentes, em um shooter horizontal. A sacada é que, quanto mais próximos eles ficam um do outro, mais fortes eles ficam, porém são lentamente consumidos pelo "amor" entre eles. Se, por um lado, a distância resolve o problema, o poder é reduzido, cabendo à dupla encontrar o ponto de equilíbrio - bem como em um relacionamento real.


Reprodução
Dysrhythmia

Dysrhythmia

Outro jogo de uma equipe da Fatec de São Caetano do Sul é Dysrhythmia, que como o nome sugere, simula as batidas de um coração com arritmia, enquanto você tenta mantê-lo em funcionamento, em gráficos similares a de cardiogramas. A experiência é relativamente relaxante, por conta da bela trilha sonora e das cores, mas a dificuldade de encontrar um ritmo nas batidas torna o jogo bastante desafiante.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas