Moda do financiamento coletivo chega aos games

Saiba quais são e como apoiar os projetos mais promissores

Renata Persicheto |

Reprodução
Tim Schafer
Muito tem sido falado sobre crowdfunding no momento. Após o bem sucedido projeto da Double Fine, empresa de Tim Schafer, ter conseguido cerca de 850% a mais do que o almejado - US$ 400 mil - em sua página no site Kickstarter, começaram a pipocar pela web inúmeros projetos buscando o financiamento coletivo.

As realizações da companhia foram comemoradas passo-a-passo e em apenas um dia foi alcançada a marca de US$ 1 milhão, doados por fãs de Schafer e seu trabalho. No final, foi arrecadado o total US$ 3,36 milhões.

De onde surgiu

Criado inicialmente para custear álbuns de bandas independentes, o primeiro site de crowdfunding de que se tem noticia foi o ArtistShare, lançado em 2000. Aos poucos, a iniciativa foi tomando o conhecimento do público e novas vertentes surgiram. O projeto mais falado hoje é o Kickstarter.com, que possui diversas categorias de focos de investimento, como os games, que mostraremos aqui, HQs, filmes, teatro e música.

Artistas podem cadastrar suas ideias, estimando a quantia que precisa arrecadar e quanto tempo a campanha irá durar. No caso do Kickstarter, se o valor pedido não for alcançado, bem como nas famosas compras coletivas, a negociação é cancelada, o dinheiro retorna para os colaboradores e o projeto volta à estaca zero.

Quem quer dinheiro?!

Inspirados no sucesso da Double Fine, inúmeros desenvolvedores montaram suas próprias campanhas buscando financiamento para seus jogos. O Arena selecionou alguns dos projetos mais promissores de grandes nomes que valem a pena ser conhecidos:

- Jane Jensen, game designer da aclamada série Gabriel Knight, lançou seu projeto no Kickstarter afim de arrecadar fundos para seus projetos no novo estúdio Pinkerton Road. Detalhes da nova aventura podem ser acompanhados na página da campanha, que aceita doações até 19 de maio.

Leia: Autora de Gabriel Knight financia novos projetos via Kickstarter

Reprodução
Wasteland 2
- Brian Fargo, fundador da Interplay (de Fallout e MDK), iniciou uma campanha no site para financiar uma continuação para Wasteland - jogo lançado em 1998 que inspirou a criação de Fallout - na qual o valor pedido, US$ 900 mil, já foi ultrapassado em US$ 2 milhões. A campanha acaba no dia 17 de abril.

Leia: Kickstarter de Wasteland 2 atinge US$ 1 milhão em dois dias

- Recentemente a Replay Games lançou seu projeto, que visa angariar US$ 500 mil para produzir um remake do clássico Leisure Suit Larry, de 1987. A campanha termina em 2 de maio, e pouco mais de 50% do instituido foi arrecadado até o momento.

- No inicío de abril, Jordan Weisman, criador do RPG cyberpunk Shadowrun, também abriu a temporada de doações para dar continuidade ao game, que já tem nome e detalhes divulgados - Shadowrun Returns, que será lançado em 2013 com versões para PC, Mac, iOS e Android. Em ascenção, a quantia estabelecida está alcançando quase 200% do valor e só termina no final de abril.

- Criado por ex-membros da Bioware, The Banner Saga mescla RPG e estratégia em turnos. O jogo já conseguiu mais de US$ 300 mil a mais do que o pedido em seu Kickstarter, que se encerra no dia 20 de abril.

- Curta a página do Arena no Facebook e acompanhe as melhores notícias de games

E como eu posso ajudar?

O mais interessante da ideia do financiamento coletivo é que, munida de um cartão de crédito, qualquer pessoa pode colaborar com os projetos, uma vez que a ação não exige muita habilidade. A grande maioria dos sites de crowdfunding - Kickstarter, Catarse, indiegogo, 8-Bit Funding, Digital Coproductions, entre outros - tem o mesmo mecanismo para doações.

Reprodução
Kickstarter
Veja neste passo-a-passo como ajudar aquele seu autor preferido a lançar mais um sucesso:

- Clique na opção "Back this project" na página da campanha que deseja ajudar

- Estipule um valor para a doação (geralmente, cada projeto tem seu valor mínimo inicial)

- A maioria das campanhas oferece recompensas para os patrocinadores de acordo com o valor doado. Se, neste caso, o projeto fornecer estas opções, escolha qual recompensa gostaria de receber;

- O ultimo e talvez mais complicado passo exige um checkout no site da Amazon. Se já possuir uma conta cadastrada com cartão de crédito internacional válida na empresa, basta finalizar a transação e concluir o financiamento.

Caso seja um "New Customer", e ainda não tenha conta ativa na Amazon, será necessário preencher um cadastro rápido com informações sobre o cartão de crédito e seus dados pessoais e aí então, concluir o processo.

Incentivo para ideias boas

Você tem uma ideia genial para um game revolucionário, mas nem ao menos seus pais te encorajam a conquistar o mundo? Abrir seu projeto em uma plataforma de crowdfunding é tão simples quanto colaborar.

No americano Kickstarter, o passo-a-passo resumido é:

- Clique na opção "Start Your Project" na página inicial;

- Leia, certifique-se e confirme que seu projeto corresponde aos termos definidos no site;

Neste ponto, seu projeto será avaliado pela equipe do Kickstarter, que vai averiguar se de fato a proposta da campanha se enquadra no perfil indicado, e promete enviar a resposta em poucos dias.

- Seu projeto foi aceito e está tudo pronto para o lançamento da campanha? Convoque seus amigos, família e animais para divulgar e apoiar o projeto. Alguns casos também apostam na divulgação massiva em mídias sociais (Twitter, Facebook) para angariar mais colaboradores. Existem também os "caça-talentos", que gastam horas procurando ideias boas para incentivar, ou seja, se seu projeto for bom, é pouco provável que fique sem fundos.

O maior problema para disponibilizar um projeto no Kickstarter é que o site exige uma conta em banco nos EUA, o que acaba se tornando um grande obstáculo para os brasileiros. E enquanto o Kickstarter não estende suas operações para cá, existe o Catarse.com, pioneiro em financiamento coletivo no Brasil.

Reprodução
Catarse

O esquema é basicamente o mesmo tanto para os colaboradores quanto para donos de projetos. A principal vantagem é que o pagamento é feito via Moip, ferramenta que intermedia pagamentos entre beneficiador e beneficiado, e evita fraudes garantindo que a transação seja feita de maneira segura para ambas as partes. No caso do Moip, o "comprador" se cadastra no site e pode efetuar seus pagamentos a partir de boleto bancário, cartão de crédito e até por celular.

O portal também utiliza o PayPal, ferramenta dos mesmos moldes do Moip, mas preferencialmente utilizado para transações internacionais.

Para os aficionados por games, poder colaborar com um projeto em que se acredita significa ajudar a trazê-lo ao mundo, e ver a obra pronta desperta um orgulho quase paternal. Enquanto houverem jogos bons, desenvolvedores competentes e jogadores fanáticos, a tendência para o financiamento coletivo é crescer. E você, acha que esse é o futuro da indústria de games: o crowdfunding sendo utilizado como uma das principais ferramentas para criação de jogos?

- Debata o assunto e troque ideias no Fórum do Arena

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG